Surtos de verão

Publié le par alinemariane

Sol brilhante, céu azul. Temperaturas entre 20° e 35°. Praia há pouco mais de uma hora de carro ou de trem. Férias (poderia chamar de desemprego, mas eu prefiro chamar de férias). Quer vida melhor?!

P1090265.JPGEsse é o meu primeiro verão europeu. Em um ano e meio, só tinha passado dias de bermuda e chinelo na África ou no Brasil. Justo eu, que adoro sol e calor, atravessei dois invernos franceses que foram quase unanimidade "Ah, esse inverno foi particularmente frio". Grrr!! E uma primavera meia-boca, com 10° em pleno mês de junho.

A chegada dos dias quentes provoca uma reação engraçada nos franceses. E claro que a brasileira aqui não fica de fora e surta também.

Surto de verão n°1: Não fique em casa!
Vamos começar com um dado simples: desde o mês de março, quando teoricamente deveria começar a ter mais sol, Loic e eu não passamos um final de semana em casa sozinhos. Esse último final de semana foi o primeiro em três meses! E foi motivado por uma crise de malária (dele, não minha. Mosquitos não gostam de mim). Verdade que viajamos três semanas para o Quênia e duas semanas para o Senegal. E que a belle-famille em Lyon tem exigido bastante da gente. Fora isso, sempre tem alguém que vem a caminho da praia. Ou a gente que vai. E isso é maravilhoso!

casaconapraia.jpgSurto de verão n°2: Muita cor e muito branco

Não sou uma pessoa que varia muito o estilo de roupa. Alguma coisa inconsciente me impulsiona usar jeans, tênis e cores discretas - cor de band-aid, segundo minha sis.
Porém meu inconsciente (e o inconsciente coletivo), no verão europeu, obriga a usar cores. Qual o problema de usar o short roxo com a blusa vermelha? E por que não acrescentar uma florzinha rosa-choque à combinação?! Minhas unhas nunca tiveram tão coloridas, pintei até as unhas do pé! Passo longe de preto e marrom, aaff, essas cores de inverno!
Além de usar cores descombinantes, reparei uma tendência entre os franceses: usar branco. Assim, feito médico, blusa branca, calça branca, sapato branco. E nem é ano-novo! Mesmo Loic, meu cherido que veste a primeira coisa que encontra pela frente, me surpreendeu ao preferir uma camiseta branca "Porque a gente vai à praia, bah!". Ah, sim, claro.

PFM_0009.JPG.JPGSurto de verão n°3: Mesas na calçada
Os terrasses, que nada mais são que mesinhas na calçada de bares, restaurantes e cafés, ficam incrivelmente lotados no verão. Até o kebab da esquina coloca mesinhas na calçada. Na verdade, os encontros ja são marcados assim "Vamos boire un verre (traduziria como "tomar uma") em algum terrasse?".
Nesse surto eu sou "do contra". Terrasse para os franceses também é sinônimo de cigarro. Ja falei que detesto cigarro, né?! Então, imagine que os terrasses são praticamente fumódromos, em todas as mesas todas as pessoas fumam. Nao há espaço aberto que livre os narizes e cabelos do fumacê! Para não parecer chata, dou a desculpa de que faz frio - e todo mundo acredita, afinal, sou brasileira e devo estar acostumada com mais calor...

Surto de verão n° 4: Biquíni pra quê?
Monoquini: Você já deve ter ouvido falar que as europeias não gostam de marquinhas de biquíni. Acho que também não gostaria dessas marcas gigantes desses "biquínis fraldinha", hehe. Ao contrário das brasileiras, que se esforçam pra colocar o biquini sempre no mesmo lugar, elas querem mais é que ele não atrapalhe (?!) o bronzeado. Então é um P1090276.JPGfestival de top less na praia, por aqui chamado de monoquini. Reparei que a média de idade das que se aventuram é por volta dos 40 anos. Ou seja, mocinhas ainda cheias de recalques ficam se contorcendo com as alças do biquíni. E eu? Quero mais é deixar o bronzado bem marcado!

Sem-quini: Minha maior estranheza não foi com o monoquini, mas com, digamos assim, sem-quini. Não, não fui à praia de nudismo. Para fugir das praias muito badaladas, às vezes procuramos alguma mais distante. E em todas essas, pode apostar: vai ter um monte de peladões, peladonas e peladinhos convivendo em harmonia com a natureza e com outros seres vestidos. Imagine só o meu choque quando, andando tranquilamente pela praia, dei de cara com a minha primeira família pelada!! No Brasil, já ouvi falar que as praias naturistas são limitadas e não permitem pessoas vestidas. No Pays de la Loire, não sei se são naturistas, se há praias delimitadas ou alguma regra, já que não havia qualquer indicação ou placa e eu não era a única vestida. Só sei que essas pessoas nuas parecem bem felizes!

P1090344.JPGSurto de verão n° 5: Biquíni na praça
Quem não tem praia, vai de parque, praça ou qualquer graminha verde disponível. Já contei que os gramados, quando faz um solzinho (ou solzão) são disputadíssimos. Além de serem um bom lugar para se bronzear!
Aqui em Angers tem o Lac de Maine, que é o que meus conterrâneos mineiros chamariam de represa. Super acessível, democrático e bonitinho, tem uma prainha de areia que fica lotada todos os esses dias de verão. É o único parque em que euzinha uso biquíni. No mais, gente, parque não é praia!

P1090228.JPGSurto de verão n° 6: Ir dormir com sol
Adoro horário de verão. Se no Brasil, já adorava a horinha de sol a mais, aqui no hemisfério norte as muitas horas de sol me deixam a pessoa mais feliz do mundo! Engraçado que meu relógio biológico não se acostuma com o solzinho das dez da noite. Sempre acho que é mais cedo do que é realmente...

Surto de verão n° 7: Reclamar do calor
No geral, os franceses são muito reclamões. No verão, a reclamação aumenta proporcionalmente à temperatura. É verdade que nos primeiros dias de sol, principalmente no início da primavera, acontece como um surto geral de felicidade, que infelizmente dura pouco. Atualmente, até o apresentador do telejornal reclama do calor. Talvez seja porque os franceses também adoram previsão do tempo. Somando isso, não há uma conversa, seja entre amigos, na aula, pelo telefone com a belle-famille ou com a vendedora da loja que não fale do calor. Estou começando a achar que sou a única que ADORA esse clima!

P1090315Surto de verão n° 8: Vinho rosé
Praia e cerveja. Parece evidente, não? Seria, se não fosse pelo fato de que a cerveja, para os franceses, mesmo no verão, não é necessariamente gelada (leia-se: pode ser quente!). Já o vinho rosé é sempre geladinho. Então, para não correr riscos, já que meu pai diz que cerveja quente dá dor-de-barriga, prefiro um vinhozinho rosé para os intermináveis aperos au bord de la mer...

Surto de verão n° 9: Sair em férias
Esqueça a baguette, o queijo, vinho ou as greves. O verdadeiro símbolo francês no verão são as férias. Agora é mais ou menos como o nosso início de dezembro para as crianças francesas: elas já estão em férias, mas seus pais não. Nas próximas semanas e principalmente durante o mês de agosto, cidades "sem-graça" como Angers, Paris e Lyon esvaziam-se de seus moradores. Todos em direçao à praia! Para entender o que estou dizendo, sugiro dois "clássicos" do cinema-babaquice francês: Les bronzés (de 1978, com a onipresente musiquinha "Dirladada") e Camping (de 2006).
Como a todo momento alguém me pergunta o que vou fazer nas férias, resolvi decretar que, a partir da semana que vem, estou em férias. Alguém quer ir à praia comigo?

Surto de verão n° 10: Achar que está em casa
Sem dúvidas uma boa parte da minha vontade de voltar a viver no Brasil vem do clima. Sol e calor fazem MUITA falta. Tanto que essa vontade de voltar até diminuiu com a chegada do verão. Os dias longos, o calorzinho, a praia, mesmo com suas esquisitices, me dão a ótima sensação de estar em casa. Viva o verão!

 

Fotos:

1. Ollonne-sur-Mer. Sou eu no cantinho.

2. De casaco em Pornic, no início da primavera

3. Fête de la Musique em Angers. A banda estava tocando pra mim!! Foto do fotógrafo

4. La Bauduère

5. Lac de Maine

6. Relógio de uma farmácia no centro de Angers

7. Aperô em Saint-Gilles-Crox-de-Vie

 

>> Agora a surtada aqui vai receber mais uns surfistas de sofá. No final de semana, La Rochelle. Vamos?

Publié dans em português

Commenter cet article

cristiane 31/07/2010 17:04



Depois de conhecer alguns países europeus descobri que isso de combinar é coisa de brasileiro kkkk Elas nem ligam!



Bel Butcher 26/07/2010 01:21



Excelente post! sempre quis escrever um post decente sobre o verão, mas nunca consegui. Ainda bem que temos Aline para isso! Merci.


 


Bom, gostaria só de fazer uma observação: Mariana, aqui (na Europa) há desodorantes para até 7 dias! 7 dias!!! Então, minha teoria é que, não basta usar desodorante, é preciso lavar as roupas. e
tirar os casacos (eles não tiram!, incrível) nos transportes públicos. Enfim, é só uma teoria.


Ah, e tem mais. não adianta tomar banho e usar o tal desodorante 7dias. Com o calor que está fazendo aqui em Portugal, os ônibus cheiram mal e tem ar condicionado. Ou seja, chega a ser opressor o
mal cheiro. Porque neguinho sua no verão, ué. normal até mesmo em lugares bem secos como Lisboa ou Paris (quando não chove e está calor é sequinho, vai).



Amanda 07/07/2010 13:06



Mariana, de onde saiu essa raiva pelos franceses ultimamente? Sera a copa do mundo mesmo?



Amanda 07/07/2010 13:04



Também AMO o verão em Paris. Mas tô sentindo uma nessecidade fisiologica de pegar uma prainha! Eu tbm vou pegar sol no parque, mas essa é so a parte chata da praia, a parte legal não tem: cade o
mar? Não tem nada melhor que passar horas dentro d'agua, até os dedos enrugarem.


E a esperta aqui vai tirar férias onde? Na Alemanha! Bom, pelo menos não vai ter a Europa toda la brigando por um espacinho.



Mariana 07/07/2010 01:36



Aline!!! Vc esqueceu de comentar um surto bem comum (aqui em Paris pelp menos): oops, esqueci o desodorante! como é que pode tanta gente não usar desodorante num clima quente desses? o futum
as vezes da vontade de chorar!!! 


Fora isso, estou contigo, adorooo verão!!!!


bjus!