Pão, o terceiro elemento

Publié le par alinemariane

Os franceses têm uma relação engraçada com o pão nosso de cada dia. Criei uma teoria de que, para eles, o pão é um terceiro elemento: não é uma comida nem uma... ahm... não-comida. Eh pão, assim, simplesmente.

baguette.jpgPão é o genérico para uma infinidade de sabores, geralmente muito bons. A forma mais tradicional é a baguette, mas há vários outros. Meus preferidos contém sementinhas como linhaça e aveia e são esfarinhados por cima. Se bem que mesmo o pãozinho do bandejão da faculdade é muito bom!

Basta um passeio rápido pelas ruas francesas para notar o estereótipo do francês e sua baguette em baixo do braço - posição essa incrivelmente cômoda devido à longura do objeto, especialmente quando se carrega outras coisas. Começa aí a relação diferente: pão não é outras coisas.

Para começar, a embalagem. Enquanto a maior parte dos produtos têm excesso de embalagem, o pão ganha um papelzinho mixuruco em torno. As vezes um saquinho de papel, um luxo, sempre menor, de maneira que a ponta sempre fica de fora. Muitas vezes, principalmente aqui no interior, nada. Pois é, nada, nadica: pega seu pãozinho com a mão que pegou o dinheiro e sai no sol ou na chuva, coloca no banco do ônibus, na cestinha da bicicleta, debaixo do carrinho de bebê...

Então, o dinheiro. Algumas padarias têm uma espécie de pratinho no balcão ao lado do caixa. Nesses casos não se deve entregar o dinheiro na hora de pagar, mas colocá-lo . Segundo fontes confiáveis (minha sogra) é porque como geralmente se paga o pão com moedinhas, isso evita que a gente encoste a mão na mão do atendente. Poréeem... ele pega o meu pãozinho com a mão!! é o mesmo que colocar a mão dele na minha boca!! Minha conclusão é que é um cuidado com a saúde dos funcinários da padaria.

Enquanto tudo tem seu prato - mesmo no restaurante mais simples costuma-se trocar de prato entre a entrada e o prato principal - o pão fica em cima da mesa. Não importa se tem toalha. Se for um pique-nique, fica em cima da grama sem problemas. Reparo que muita gente pega o pãozinho do bandejão, carrega para a biblioteca e deixa sobre a mesa de estudos, empoerada desde as férias de verão.

Faca não é obrigatória para cortar a baguette, já que as de boa qualidade são fáceis de rasgar - e quem liga para migalhas? Faca é definitivamente não-obrigatória, mesmo para comer: é super normal usar um pedaço de pão (o seu!) para empurrar a comida sobre o garfo. E para limpar o prato do molho que restar também - muitas vezes eu acho a combinação molho e pão melhor que o prato em si!

Como um bom terceiro elemento, o pão causa algumas obsessões. Loic come até pizza com pão. Ele chega em casa e, se não tem pão, sai para comprar, mesmo que a gente não jante em casa nos próximos dias. No supermercado, é a primeira coisa que ele pega, de medo de no final da compra não ter mais!

pain-perduJogar o pão velho e duro fora é uma heresia, não pode de jeito nenhum! Então guardamos e quando já tem uma boa quantidade, vamos dar para os cavalos em algum pasto por aqui. O problema é que não tem muitos cavalos (nem pasto!) agora no inverno, então o estoque de pão velho está crescendo... Ah, muita gente faz uma sobremesa com os pães velhos, algo como a nossa rabanada, mas melhor, o pain perdu. Pena que, vocês sabem, sou um desastre na cozinha, nunca nem tentei.

Comentei sobre a minha teoria do pão terceiro elemento com a minha coleguinha mais fresca. Para carregar uma maçã na bolsa, por exemplo, ela embala com papel toalha ou um saquinho alimentício. Mas para carregar o pãozinho do bandejão para casa, ela coloca diretamente na bolsa, sem problema algum. Agora ela concorda comigo ao ver alguns meninos com seus pãezinhos desfilando no bolso da frente da mochila: "você tem razão, os franceses não tratam o pão como uma comida qualquer..."

A conclusão da minha elaboradíssima teoria é: pão é pão. Rigor científico ao máximo.

Publié dans em português

Commenter cet article

computer help 10/12/2014 11:24

It was quite interesting to learn about the relationship of bread with the French. But the fact is that bread is an essential food or life saver to most of the third world countries. For them bread is a first element and their lives depends on it.

Mariana 14/06/2012 11:52


Haha! Muito bom.


Não sei nem se você mesma ainda visita seu próprio blog, mas mesmo sem posts novos vim dar uma lidinha nos
antigos. Puxa, você nem sabe quão sortuda é de viver nesse mundo de pães cheios de bactérias (ou sabe, pelas experiências na África?). Melhor do que não ter. Melhor do que só ter um pãozinho de
fôrma pobre, cortado em fatias de tamanhos diferentes, que despedaça e só faz lembrar: Ah, que saudade de um pãozinho francês! No Le Marché em Nova Delhi tem baguete daquelas meio duras que tem
nos EUA. Aliás, nos EUA a embalagem não deixa a pontinha pra fora... o papel é dobrado e fechado com Durex. Ah, os americanos! Sempre descaracterizando tudo.

Grazi 23/05/2011 18:53



Aline, vc já viu esse programa?


http://g1.globo.com/globoreporter/0,,LS0-16627-71493,00.html


assista, ele fala sobre os pães franceses.



Marci 13/02/2011 03:21



Hahahaha, demais! Sem contar com as suvaqueiras... o povo taca o pão debaixo do braço e manda brasa!!! hahahaha



Tereza (Bruxelas) 07/02/2011 22:21



Hahahaha eu moro na Bélgica faz 20 anos. Meu marido é francês e morei com ele 2 anos na França. Já tinha esquecido esse detalhe da baguette. Dei boas risadas e até meu marido riu. Eu também não
entendo como é que com tanto excesso de embalagem, ainda não inventaram um saquinho que cubra a ponta da baguette. Nem aí nem aqui na Bélgica ! :o)