Vida úmida

Publié le par alinemariane

Aahh, chuva... Ja falei que gosto, né? Mas como tudo, quando é demais enche o saco. Nao sei quanto tempo faz que esta chovendo sem parar. Tenho a previsao do tempo no iGoogle do meu navegador e até hoje nunca vi um solzinho: ou é solzinho com nuvem, ou é nuvenzinha chovendo.


Ja sabia que a regiao era umida. No contrato de aluguel, havia um termo afirmando que a gente esta sabendo que moramos numa zona inundavel - 70% da cidade esta em zona inundavel. A ultima chuva memoravel foi em 1995 e foi preciso andar a barco aqui na minha rua - detalhe amedrontador: moro no térreo. Nunca tinha visto desumidificadores de ar em outro lugar que nao fosse museu, arquivo ou galeria de arte; aqui em Angers tem nas lojas! Também nao conhecia a real utilidade de um secador de toalhas...


<< Achei essa foto das inundaçoes de 1995. Esse é o rio Maine, que fica ha um quarteirao de casa.


A consequência é que tudo mofa. Malas de viagem, rotulos, cantinhos de azulejos, às vezes até a parde em si, tudo escurecido. Mesmo meu gaurda-chuva mofou. As roupas ficam com cheiro de guardado. Se antes eu ja esquentava minhas meias com o secador de cabelo, aqui esse truque serve para que elas sequem. Meninas que usam chapinha, nao venham pra Angers!


Com toda essa umidade, ganhei inquilinas nada bem-vindas: lesmas, iec! Depois de Dakar, achava que nao teria medo de nenhum ser rastejante ou voador. Mas nao tinha pensado em lesmas. Elas sao gelecosas, feias, nojentas e babam. Nao poderia ser pior.

Ah, podia: lesmas no banheiro, iec. Nao sei por onde elas entram, o banheiro (a salle de bain, porque o toilette aqui é separado, uma das coisas mais bizarras e comuns aqui na França) nem tem janelas! Nada fica aberto à noite, mesmo os ralos estao ficando tampados! E elas entram!! Olha, ou elas passam por alguma fresta minuscula que nao achei ainda ou elas brotam em geraçao espontânea...

Acabei descobrindo que agua quente tem o mesmo efeito do sal: elas derretem, iec, e viram uma meleca so, iec. Entao a soluçao é "varrê-las", vivas, claro, para o quintalzinho que divido com o vizinho. Se nao chove durante a noite, no outro dia de manha elas estao la onde joguei, mortas e secas, iec. Se chove, sei la o que acontece.

Pra limpar a geleca, iec, jogo limpadores a base de cloro. Li que coisas alcoolicas as atraem, entao todo o estoque de cerveja foi pra dentro da geladeira (ah, vale dizer que o Loic toma cerveja quente mesmo, nem liga, eu é colocava na geladeira pra mim. Agora coloco tudo.) e nao uso mais produtos de limpeza a base de alcool. Estou tentando todos os métodos organicos para acabar com elas. O problema é a chuva que leva o sal, po de gesso, serragem e po de café... Se nao servir, vou apelar para os venenos quimicos. Desculpem, também sou contra esse tipo de agressao. Mas as lesmas entram no meu banheiro e lah nao é lugar pra elas!

As lesmas, iec, estao me fazendo ver vantagens no toalete separado do resto do banheiro...

Publié dans em português

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article

luci 18/11/2009 18:32


o teu blog e o da amanda sao os blogs onde eu mais aprendo coisas! hehehe adoro! morria e nao sabia que angers era assim, tao aquosa... na verdade, eu nao sei muitas coisas sobre a frança, mas a
questao eh que eu nao imaginava que uma foto dessas poderia ter sido tirada na frança.

o espanto eh maior ja que aqui em lyon nada mofa. camilo disse que guardou umas roupas sujas (porquinho) e saiu pro intercambio. UM ANO depois, as roupas ainda estavam inteiras sem o famoso fedor
de guardado-podre. no brasil eu sofria horrores com minha alergia. era terrivel mesmo. qualquer pozinho, mofinho, me fazia espirar durante uma semana. aqui eu espiro a cada tres semanas... e olhe
lah! adoro o clima daqui. e ainda nao vi nenhuma lesma. iec!