PARIS - por Luci

Publié le par alinemariane

Comentei sobre o Amigo-Secredo de Blogs aqui.

Dando sequência, quem me sorteou foi a Luci, que conta suas aventuras em Lyon (e mais) no otimo blog Caso me Esqueçam. Nao se esqueçam e visitem!! Mas, antes, vejam so o texto e, no final, confiram quem eu tirei:

>><<

Paris

Paris conheceu A Guerra, O Arco, A Queda, A Torre, O Imperador... Tudo assim, em maiusculo. Os grandes nomes, as grandes obras, os grandes feitos, os grandes momentos (ha de se questionar o significado de "grandes homens, grandes feitos", mas ha de se fazê-lo em momento oportuno), os grandes momentos, estão la. Paris. O meu lado historiadora, que eu ja nem sei onde começa e onde termina em mim, mas que sei que é grande, exigiu fotos com todas as personagens parisienses. Meu lado historiadora tocou as trompetas na minha primeira entrada no Louvre. Sabe aquele? O Museu? Estava sob meus pés!  Meu lado sentimentaloide tremeu o queixinho quando visitou uma tal de Piaf. Me deliciei com a neve, com as livrarias, com as vitrines, com os cemitérios, com as exposições, com a mistura de linguas e sotaques, com a correria e até o cocô na calçada me chamou atenção (quantidade e cheiro especiais). Mas mas mas... não foram somente os cocôs e as historias dos outros (as grandes obras, os grandes feitos) que ficaram gravadas na minha cabeça quando fui à Paris. Estou ligada à ela por dois eventos que foram de grande importância na minha vida na França:

1. Paris foi testemunha da minha ultima semana de solteira e da passagem para um ano novo. Mas "novo" é pouco. Se algum dia eu desejei ser feliz em uma virada de ano, foi na virada de 2008/2009. O desafio era manter um casamento (pelos exemplos analisados, não seria coisa facil de se fazer), aprender uma nova lingua, me conformar com a idéia de viver sem meus amigos, tentar me inserir em outra cultura, trabalhar de alguma forma, dar adeus aos meus pais e, enfim, morar em outro pais.

2. No segundo momento, fui chamada a Paris à convite de brasileiros que eu conheci por acaso na internet. Acho que, nesse momento, pude entender que o ano estava indo como eu precisava que fosse. Arrumei um emprego. Meu casamento flui... Me sinto suficientemente segura pra atravessar o pais de trem sem meu tutor-namorado-amigo do lado porque a lingua começa a deixar de ser um codigo indecifravel pra mim e a fazer sentido. E, de repente, me vi percebendo que, o que eu comecei a desejar ha alguns meses, em Paris, estava se realizando naquele momento... em Paris.

Quanto carinho se pode sentir por um lugar que somente traz lembranças boas? Da forma que isso tah indo, a proxima vez sera ainda melhor. De qualquer forma, pode ser insignificante, mas agora Paris tem mais uma historia.

>><<

Palmas pra Luci!!! eeee

A minha amiga secreta... Isso nao quer dizer grande coisa, so tinha o Rodrigo de homem.
A minha amiga secreta... é do Rio de Janeiro. Grande coisa, a Amanda, a Tania, a Ana, a Bel e a Maira e o Rafael sao do Rio (sera que ter blog é coisa de carioca?!).
Pois bem, minha amiga secreta... nao mora em Paris!
Aha, entreguei!!! Minha amiga secreta é a Ana, do blog Ana So. Corram la porque ela ja tem o meu texto!!!

Publié dans em português

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article

mariana 19/10/2009 22:50


Oi Aline!!! Comentei teu texto la no blog da Ana, mas comento aqui de novo: muito sincero e pessoal teu relato!!! e dommage que vc esta indo embora de Paris!!! Quando vier visitar a gente combina
alguma coisa, que tal??? Ou então a gente pensa em outro encontro dos blogs para vc ter a desculpa para vir visitar!!! tudo de bom pra vc!!! bjus e à la prochaine!!!


Amanda 13/10/2009 19:22


Ai que lindo! Eh tão bom quando as coisas dão certo, né? Normalmente a gente não percebe, mas quando se corre o risco das coisas darem muito errado, a gente consegue dar o devido valor
quando tudo vai bem.


luci 13/10/2009 14:34


nossa, que povo rapido! e eu sofrendo pra escrever hohoho vou lah!
=*