Notícias da Costa do Marfim

Publié le par alinemariane

Africa_just_continent.svg.pngUma coisa a gente pode generalizar sobre o continente africano - e nao estou falando de calor ou da musica empolgante. A politica é o caos. Cada caos com a sua particularidade, claro, mas sempre o caos. Nao que eu esteja dizendo que a politica em terras brasileiras seja um exemplo, mas o conceito de democracia à africana tem nuances dificeis de acreditar.

Por isso, mais um golpe de estado, mais uma eleiçao adiada, mais um presidente que fica 20 anos no poder, mais uma chacina por motivos politicos nao choca ninguém. No Brasil, nem noticia é. Aqui na França, talvez por um peso na consciência de ex-colono, pelo menos ficamos sabendo.

Cote_d-Ivoire.svg.pngPor exemplo, a Costa do Marfim sofreu um golpe de estado nessa sexta-feira. Aposto que os leitores brasileiros nao sabiam disso, nao?! Pois entao, nossos colegas de chave na proxima Copa do Mundo tiveram as eleiçoes presidenciais canceladas e a suspensao de todo o governo. Isso feito pelo proprio presidente (?!) Laurent Gbagbo, que esta no poder desde 2000 e, pelo visto, nao quer sair de la...

Procurei a noticia na Folha de Sao Paulo on-line. Nada. Depois no Estadao. Nadica. No Google, achei referências à midia portuguesa e uma timida nota nO Globo on-line. Por outro lado, nao ha sequer um cotidiano francês que nao tem noticiado a situaçao desde sexta-feira. Mas, ok, é Carnaval no Brasil, ha varias outras noticias internacionais importantes e nao vamos nem comparar a quantidade de marfinenses na França e no Brasil. Sem contar que mais um golpe de estado na Africa nao é uma noticia importante... até que se transforme em guerra civil - nesse caso, pode até ganhar algumas cenas chocantes no Jornal Nacional, seguidas, claro, por uma noticia boa, assim nao estraga o clima para a novela.

Como o Senegal, a Costa do Marfim fica na Africa do Oeste, tem como idioma oficial o francês e teve sua independência em 1960. Termina por ai as semelhanças. Ousaria dizer que, da Africa francofônica, a Costa do Marfim é o pais mais problematico. Rico do ponto de visto da fauna e flora, com clima otimo e solo fértil, conheceu um certo crescimento econômico até por volta dos anos 1980, quando uma mais um golpe de estado e mais uma série de problemas de gestao afundou o pais numa crise que culminou em conflitos armados (leia-se: mini guerra civil) entre 2002 e 2004 que foram enfim resolvidos em 2007. Ou melhor: tinham sido resolvidos em 2007, pois acabaram de voltar à tona.

African-language-map2.jpgAprendemos na escola que o grande problema da Africa é que os traçados politicos feitos pelos europeus foram aleatorios em relaçao à organizaçao étnica ja existente. Acredito que nenhum pais da Africa negra fuja dessa questao. Porém pode ser uma questao amenizada; no Senegal, por exemplo, wolofs, peuls, sereres e outras etnias convivem bem, talvez por terem pontos em comum bem importantes: sao muçulmanos e falam wolof.

A populaçao na Costa do Marfim é na maior parte crista: 65% contra 35% de muçulmanos e, como brasileiros sabemos bem, a noçao de unidade dos cristaos é bem diferente dos muçulmanos. As diversas etnias estao separadas geograficamente (ao nordeste, os mandingues, noroeste os sénoufos, em todo o oeste os krous e ao centro-sul os akans, que representam uma maioria de 31% - e viva a wikipedia!). Além disso, nao ha um idioma unico e aqueles que nao falam francês acabam ainda mais completamente isolados. Pra piorar, a Costa do Marfim é o pais da Africa negra que mais recebe imigrantes dos paises vizinhos. A confusao é tanta que criaram o conceito de ivoirité (diz-se "ivoaritê" e eu traduziria como "marfinidade") pra tentar definir a identidade nacional - qualquer semelhança com os franceses é mera coincidência (hihihi).

A politica nao poderia, entao, ser menos confusa. A oposiçao ao atual governo se faz presente em mais de 60% do territorio, em regioes estratégicas do ponto de vista econômico. Mas nao convencem nem 30% da populaçao... Essa oposiçao liderava a organizaçao das proximas eleiçoes presidenciais e o governo, evidentemente descontente, resolveu cancela-las e, pior, dissolver o governo como um todo! Ha um prazo para que uma nova equipe de governo seja reestabelecida até quarta-feira. Se nao, a oposiçao ja ameaça invasoes militares...

...aaahhh!!

Por que eu estou desesperada?! Bem, meu cherido Loic esta em Abidjan, a capital econômica e onde as coisas acontecem na Costa do Marfim, até a proxima semana!! Estou me sentindo como uma esposa cujo o marido vai à guerra (exagerada?!), esperando ansiosamente cada e-mail e cada sinal pelo Skype! Dureza é que os problemas de energia elétrica por la sao ainda piores que no Senegal...

Esse é o grande problema de viver com um pé na Europa e outro na Africa (eu tenho ainda um pé no Brasil. Um tripé!): nunca se sabe como as coisas estao por la, tudo pode mudar em questao de dias! Bem, pelo menos ainda podemos fugir...
didier-drogba-ivory- 36976
Enquanto isso os brasileiros se perguntam: isso vai prejudicar o futebol deles? Nao acredito. Os bons jogadores marfinenses jogam tranquilos na Europa. Temos mais coisas em comum que pensamos.

Torçam pela Costa do Marfim. Para que resolvam bem suas questoes politicas. E para que fiquem em segundo no grupo G (depois do Brasil, claro).





PS: Em tempo, analise bem franca da revista L'Express, em francês: Laurent Gbagbo passe en force

Publié dans em português

Commenter cet article

Helena 15/02/2010 20:34


Aline, obrigada pela informação!! Tenho a impressão que uma das piores situações na África Ocidental ocorre ali do ladinho da Côte d'Ivoire. A Liberia é um país em ruínas, literalmente. Durante
quase 15 anos de guerra civil, as estruturas mais básicas de saneamento, transporte, saúde, moradia foram destruídas. Sem atividade econômica, o país vive na miséria e se tornou um dos mais
violentos do mundo. Fico pensando que, mesmo com ajuda da ONU, como esse país vai sair dessa? É toda essa fragilidade que favorece o caos político e as barbaridades que tu colocas no teu texto.
Ainda no Oeste Africano, mas mais pro norte, existe um lugar que nem país é!! O Sahara Ocidental é um "território não autônomo". Ou seja, depois que a Espanha caiu fora, Marrocos, Argélia e sei lá
mais quem ficaram disputando essa área. Me interessei pelo Sahara porque estou lendo um livro, "Désert", do le Clézio, que conta um pouco a história dos povos que lá viveram. Só estou na metade do
bouquin, mais já recomendo :)
Um beijo e obrigada pelo post, nos faz refletir um pouco... 


Henrique 15/02/2010 19:31


Ótimo post Aline! Infelizmente estou com 3 projetos na Costa do Marfim, e todos dependem da realização de eleições para se concretizarem. Tinha uma viagem marcada para Abidjan no próximo mês, que
por motivos óbvios tive que adiar... É triste!


Amanda 15/02/2010 16:46


Uau, aprendi um monte sobre a Costa do Marfim! :)