Pobre, mas limpinho

Publié le par alinemariane

Limpeza é um conceito cultural. E nao me venha dizer que sujeira é sujeira em qualquer lugar, pois também nao é. Nao concordo nem com a relaçao direta entre limpeza e riqueza, como indica essa frase tao tipica brasileira: "é pobre, mas é limpinho" (pra mim é como o "rouba, mas faz", uma mania de "mas" que temos...). Limpo, sujo, cheiroso, fedido, depende dos olhos e do nariz de cada um.

Vamos la! Comparaçao desse assunto nas minhas três queridas cidades (segundo a minha limitada experiência, claro):

Sao Paulo

Ok, a terra da garoa é suja (e eu gosto dela mesmo assim, ok?!). Até a propria garoa é acida, por causa da maldita poluiçao do ar. Essa poluiçao é tanta que às vezes, especialmente nas temporadas secas do inverno, o céu é cinza, esfumaçado, e de manha se mistura com a neblina formando um verdadeiro smog (smoke + fog).

Sao Paulo tem dois grandes rios, Pinheiros e Tietê, mas a gente se lembra mais das marginais, do trânsito etc. do que os rios eles mesmos. Na verdade, até lembra dos rios quando eles transbordam e causam o caos. Sao dois rios mortos; o Pinheiros até tem algumas pobres arvores do Projeto Pomar, mas o Tietê é so concreto mesmo. Todos os dois sao bem fedidos.

No geral, ha poucas lixeiras e você vê gente jogando lixo no chao, na rua, mesmo. Banheiro publico so é limpo se for pago (ou seja, nem tao publico assim). Tem muito pouco verde, nao tem flores e os paulistanos se vêm admirando a beleza do Parque Ibirapuera ou da USP, a natureza nos padroes da capital paulista, hehe.

Por outro lado, ha lugares em que a limpeza beira a neurose. é comum ver nos restaurantes garçonetes de rede no cabelo, avental branco, luva. Os talheres vêm em saquinhos individuais, lacrados. Palito e canudinho sao embalados um a um em papel. Sanduiche de carrinho tem saquinho de papel e de plastico, juntos.

O Loic quando estava no Brasil, foi à padaria (que se diz francesa  e se chama Saint-Etienne, na Vila Madalena), viu um cesto com baguetes e nao teve duvidas: pegou uma baguete com a mao, tranquilamente, mas para desespero meu e da atendente, que correu para ajuda-lo com um pegador e um saquinho de papel especial baguete (compridao). E eu expliquei sem-graça "Ele é francês, hehe".

Limpeza para os paulistanos significa jogar agua. Nao é à toa que a Sabesp tem que fazer campanhas para que nao se lave a calçada e o carro com a mangueira - e se gaste agua a doidado!!

Paris

A cidade mais linda do mundo nao poderia ser suja, nao é? Pena que paga um preço por ser tao povoada (Para comparar, Paris tem 20 696 hab./km² enquanto Sao Paulo sao 7 148,1 hab./km²)...

O rio Seine é limpinho, você pode andar de bike, fazer pique-nique ao longo dele, existe até um tal de Paris Plage durante o verao, onde as pessoas tomam banho de sol. Coisa impensavel em Sao Paulo. Mesmo assim, nao arriscaria tomar a agua de la!

Lixeira pra todo lado e um exercito de garis e caminhoes aspirador de po cuidam da limpeza. Nao vou dizer que as pessoas sao super educadas, mas como a limpeza publica realmente funciona, devem ficar no minimo constrangidas em jogar lixo no chao... Na primavera e no verao, tem verde, flores pra todo lado. Uma simples rotatoria vira um canteiro florido!

Por outro lado, algumas coisas me "chocaram" numa primeira vista em Paris. Nao é nada incomum que as prateleiras do supermercado estejam bem empoeiradas ou mesmo o chao do restaurante um pouco engordurado. Pra ver se o meu sanduiche estava quente, a garçonete nao teve duvidas em colocar o dedao nele! Na padaria, a mesma atendente que pega o seu dinheiro pega a baguete com a mao e a enrola num pedacinho minimo de papel.

Ja vi a fonte que fica na Place de la Concorde cheia de espuma porque alguém resouveu tomar banho la, como na Praça da Sé. O metro às vezes tem uns fedores bizarros, mas eu dou um desconto porque um buraco na terra com mais de 100 anos tem direito de ser fedido, nao?!

Na micro-cozinha do nosso apê de Paris, nao tem ralo. No banheiro, ralo so dentro da banheira. Alias, nesse quesito o apê é um pouco diferente, pois em geral o toilette (o vaso sanitario) fica separado do resto do banheiro (a salle de bain). Isso te obriga a sair com as maos sujas do banheiro (eca!) e torcer pra nao ter ninguém no outro banheiro pra poder lavar as maos. Talvez seja por isso que ganhei o habito de andar com alcool gel pra todo lado... Em contrapartida, ha banheiros publicos em todos os cantos e sao particularmente limpos.

Como eu nao achava a palavra "rodo" no dicionario, mostrei uma foto para o Loic: ele nunca tinha visto! Achando que era so mais uma coisa de homem sem-noçao, mostrei para uma amiga francesa e, surpresa, ela também nao sabia o que era!! Depois até vi numa loja pra vender, com o nome de balai, que na verdade é vassoura. Ah, também nunca vi uma casa com tanque.

Dakar

Depois de conhecer Dakar, acho a Marginal Tietê bem limpinha. As ruas por aqui sao sujas, muito sujas, mas muito sujas mesmo. Além de muita areia, todo tipo de lixo se acumula nas laterais, onde seriam as calçadas, servindo de abrigo para um verdadeiro laboratorio de insetos - nem sabia que existiam tantos tipos de baratas, moscas e mosquitos...

Como lixo gera lixo, todo mundo se sente à vontade para jogar nao importa o quê, nao importa onde, como comentei um pouco por aqui. Nunca vi uma lixeira na rua. As praias sao verdadeiros depositos de lixo, misturados aos restos dos mercados de peixe, ou seja, é bem fedido. Estive em Saint-Louis, ao norte, onde desagua o rio Senegal, o mais importante do pais: é mais vivo que algumas partes do Tietê, pois nao sofre com a poluiçao industrial, mas também é um mau-cheiro so...

Açougues e peixarias sao pequenas barraquinhas, muitas vezes so uma mesa de madeira, na rua. Zero refrigeraçao, nenhum gelinho. Algumas vezes você nem vê a carne ou o peixe, de tanta mosca.

Existe uma névoa de areia no ar. Estou ha alguns minutos com o meu computador aberto ja vejo que ele esta todo empoeirado, cheio de areia. Essa areia corroi tudo, entao, aliado ao calor e à uma baixa qualidade dos materiais em geral, qualquer coisa metalica em poucos dias ja esta toda oxidada. Se passam mais de 24h sem limpar a casa, você tem a impressao de ter entrado num achado arqueologico, de tanta areia que tem sobre as coisas. Ah, sim, temos uma doméstica pra isso, mas é assunto para uma outra vez.

Ja comentei que a rede de agua ainda é bem precaria. Entao, você pode imaginar que nao ha agua pra lavar nada direito. E tudo é coletivo. O cha, que também volto a falar aqui, é compartilhado por inumeras pessoas, sempre em dois copos. O almoço e o jantar sao sempre em grandes pratos coletivos. Ou seja, você nao tem um pratinho pra você, mas uma grande bacia que fica no chao e chega quem quiser e come la. Os homens têm direito à talheres, mas as mulheres comem com a mao, mesmo. Ainda bem que eu sou estrangeira e posso comer com colher, acho que derrubaria tudo...

Você compra pao, carne, sanduiche, amendoim etc. enrolado em papel de jornal, revista, livro, caderno usado etc. Nada limpo, mas no minimo divertido comer e ler o horoscopo de dias antes, as notas de alguém na escola, paginas em arabe...

Pra comer, existe uma regra: deve-se comer com a mao direita, porque a mao esquerda é reservada às atividades do banheiro - sorte ou azar dos canhotos?! Adoro observar as maes com as crianças pequenas, fazendo-as trocar a comida de mao.

Papel higiênico nao existe. Na verdade, essa é uma caracteristica dos paises muçulmanos, pois o Corao prega toda uma regra de como se deve agir antes, durante e depois do banheiro. Eles acham papel higiênico nojento - e eu acho o contrario, hehe. Claro que tenho o meu estoque de rolos importados e ando sempre com lencinhos descartaveis... Ah, os toaletes comuns também sao raros, geralmente sao toaletes turcos, que consistem num furo no chao. Haja equilibrio!

Limpeza publica x Limpeza privada

Ao comparar Sao Paulo e Paris, a minha conclusao era sempre de que enquanto Paris da a devida ênfase à limpeza publica, Sao Paulo deixa a desejar e exagera na limpeza privada. Ja aqui em Dakar, nenhuma nem outra: nao existe preocupaçao com a limpeza publica e a limpeza privada é beeem limitada.

Doenças e neuroses à parte, o que é sujo pra uns, nao é pra outros. E eu vou me adaptando, cada dia menos fresca e nao vendo a hora de ter tudo limpinho...

Publié dans em português

Commenter cet article

Annelise 11/08/2009 21:33

Huahuahuahua gostei muito deste post. De certa forma é bom saber que há lugares mais sujos que o Rio =D. Aqui também se desperdiça muita água lavando calçadas, até parece que sobra água nesse país.Não sei como você aguenta Dakar eu já tinha fugido faz tempo, até porque sou alérgica e não aguentaria tanta poeira.... beijos!

Raiza 11/08/2009 19:52

Olá,seu blog é muito interessante.Já li todas as postagens e já te linkei no meu blog.Até indiquei pra uma amiga.Cheguei aqui através do blog da Amanda.É isso,parabéns pelo site!