Semi-toubab

Publié le par alinemariane

Acho que eu e o Loic somos os unicos nao-negros aqui do bairro. Até agora, nao vi nenhum outro.

Os senegaleses, como diz a tradiçao da teranga, sao especialmente receptivos. Cumprimentam-se entre si o tempo todo e, especialmente no bairro onde todo mundo se conhece, perguntam sobre tudo: como vai o pai, a mae, o bebê, o trabalho, os estudos, as viagens, o novo corte de cabelo, a dor de dente...

Comigo nao é diferente. Como sabem que nao falo wolof (porque nao-negros nao falam wolof), cumprimentam-me com frases decoradas em francês: Bonsoir (nao importa a hora), ça va? ça va bien.

Mas vejo o quanto chamo atençao pela reaçao das crianças. Varias vezes, elas começam a me seguir. Ou querem vir me tocar. Ou pior, se escondem ou começam a chorar. O Loic foi brincar com o filho da vizinha e ele saiu correndo apavorado!

As pessoas me chamam por "toubab", nome genérico dado aos franceses e a tudo que vem da colonizaçao. Mas eu nao sou toubab! Nao sou francesa, nem européia, nem branca! Mas também nao sou negra...

Sou uma semi-toubab.


Publié dans em português

Commenter cet article